Hoje, nossa história acontece no Uber.

Era de noite quando solicito um Uber pelo app, aparece o motorista, carro, placa e segundos depois mudou de motorista. Ok. Mal sabia eu, que esse Uber tinha história pra contar…

Eu, tagarela que sou, conto a vida, até que o assunto caí no nosso tão amado Semeando. “Ah, vocês se vestem de palhaços? Esses dias estava no hospital acompanhando minha esposa e tinha alguns lá” “sério ? qual hospital ?” “Aqui em São José mesmo” – mostro uma foto e bingo, era o SA – “Era vocês ? Minha esposa estava internada, ficou super feliz com a visita de vocês”

Seu “Luiz”, contou tudo sobre a esposa e o porque estava lá, e que logo faria uma cirurgia. Conversamos mais um pouco, desejei melhoras e encerramos a viagem.

Mas, não parou por aí… Uns meses  depois, novamente, corrida com seu “Luiz”. Ele contou super feliz que sua esposa estava se recuperando da cirurgia, que já estava em casa e sendo muito bem cuidada pela família. Papo vai papo vem, mais uma corrida encerrada e não foi a ultima… Um tempo depois, quem aparece ? Seu “Luiz” com um sorriso de orelha a orelha contando que sua esposa já estava recuperada, voltando as suas atividades normais e feliz!

Normalmente, não sabemos os desfechos das histórias que encontramos pelos corredores e quartos de hospitais, mas essa, tive o prazer de saber e compartilhar com vocês.

* Nome do motorista fictício.

Letícia Witzki – Palhaça Pipoca