Essa história é um pouco antiga, mas como esses dias foi o dia da saudade, resolvi relatar uma das minhas saudades no Semeando Amor.

Criança emociona, e com essa  não poderia ser diferente… No começo de 2015, pedi as crianças da Associação Lar Criança Arteira, para escreverem em um papel três desejos, fossem eles um brinquedo ou um passeio.

Entre tantos pedidos, um chamou  minha atenção “museu”. Por que uma criança de 6 anos queria conhecer o museu e não ir ao Beto Carrero ou ao cinema como as demais haviam pedido ?

Lá fui eu, curiosa, perguntar:

– “Arthur” por que você quer ir ao museu ?
– Ah tia, todo mundo fala, quero saber como é. Deve ser bonito.

Os meses foram passando e eu precisava realizar aquele desejo  tão simples, mas significativo para ele.

Chegou então dezembro, o mês que eu soube que ele voltaria para sua família em outro estado. Eu não tinha mais tempo, precisava leva-lo. Marquei com a diretora da instituição e o levei.  O local de visita foi o Museu Oscar Niemeyer  e chegando lá, os olhos dele já brilhavam.

Passamos a tarde juntos, porém, a hora de retornar ao Criança Arteira se aproximava… Chegando ao lar, perguntei se as visitas do Semeando Amor eram importantes para ele, como resposta recebi um sorriso e um abraço, e foi a melhor resposta que pude receber. Ele não sabia, mas aquele abraço era nosso abraço de despedida. Quando ele descobriu que enfim retornaria para sua casa, disse assim “tia, não fica triste tá? você pode me visitar sempre”.

Não sei se ele ainda se recorda da Pipoca, mas a Pipoca,  para sempre vai lembrar daquele garotinho que trouxe mais vida a minha palhaça.

* O nome usado para a criança é fictício.

Letícia Witzki – Palhaça Pipoca